Virtuoses do piano brasileiro

Juliana D’Agostini

Fabio Martino

Hercules Gomes

Ronaldo Rolim

VIRTUOSES DO PIANO BRASILEIRO REÚNE JOVENS EXPOENTES
DO INSTRUMENTO EM CONCERTOS GRATUITOS,
DE 30 DE JULHO A 2 DE AGOSTO, NA CAIXA CULTURAL, EM SP

 

Festival, que tem curadoria de Fábio Caramuru e apoio institucional da Fundação Magda Tagliaferro, reúne Fabio Martino, Juliana D’Agostini, Hercules Gomes e Ronaldo Rolim.

 

Inédito, o festival Virtuoses do Piano Brasileiro apresenta, de 30 de julho a 2 de agosto, na Caixa Cultural, em São Paulo, quatro jovens pianistas do país que já contam com prestígio internacional, em apresentações gratuitas, sempre às 19h15: Fabio Martino (30/7), Juliana D’Agostini (31/7), Hercules Gomes (1/8) e Ronaldo Rolim (2/8).

 

Os programas das apresentações contemplam o período clássico de Mozart e Beethoven, o romantismo de Chopin, Schubert e Liszt, o impressionismo de Ravel e a obra do compositor brasileiro Ernesto Nazareth.

 

Sob a curadoria de Fábio Caramuru, com patrocínio da Caixa Econômica Federal e apoio institucional da Fundação Magda Tagliaferro, a proposta do projeto é mostrar, por meio de diferentes trajetórias de superação, como é possível atingir o reconhecimento em uma carreira cercada de inúmeras incertezas e obstáculos. Para tanto, após os recitais, cada artista participará de uma entrevista aberta à participação do público, mediada pelo curador e por Cecília Ribeiro, diretora da Fundação.
“Acreditamos que, ao compartilharem suas experiências pessoais em busca do sucesso, os artistas podem estimular outros jovens interessados em trilhar a profissão de músico”, afirma Caramuru.

Fabio Martino

Aos cinco anos de idade começou a tocar piano no instrumento de sua avó, uma professora em São Paulo. Dezessete anos mais tarde – após rigorosa formação nas principais universidades do Brasil e Alemanha – Martino compra seu primeiro Steinway. O dinheiro veio do 1º lugar no maior concurso internacional de piano da América Latina, o BNDES.

 

Em 2011, conquistou o concurso internacional de piano Ton und Erklärung, na Alemanha.

 

Em seguida lançou seu primeiro CD solo, com obras de Brahms, Schumann e as primeiras audições mundiais da 3ª Sonata para piano de York Höller e dos Três estudos intervalares de Edino Krieger.

 

Como solista, interpreta internacionalmente concertos para piano e orquestra de compositores como Prokofiev, Rachmaninov, Beethoven, Schumann, Medtner e Mozart, entre outros, acompanhado por importantes orquestras nacionais e internacionais como OSESP, OSB, Filarmônica de Minas Gerias, Orquestra Sinfônica da Rádio da Baviera e Filarmônica de Duisburg.

 

Seus concertos e recitais no Festival Internacional de Piano de Miami, no Gilmore Festival, no Heidelberger Frühling, na Rádio NDR, em Hannover, e no Gasteig, em Munique, deixaram o público e a crítica especializada extremamente impressionados.

Juliana D’Agostini

Começou a estudar piano aos cinco anos. Aluna de Eduardo Monteiro e com cursos avançados realizados no New England Conservatory of Music (Boston, EUA) e Arizona State University (Tempe, EUA), tem sua carreira marcada pela disciplina e dedicação.
A rotina à frente do piano de cauda, que ocupa praticamente a sala inteira de sua mãe, trouxe reconhecimento profissional: a artista já passou por importantes festivais de música clássica, como o Académies Internationales d’été du Grand Nancy  (França) e o Festival Internacional Ex Toto Corde (Brasil).

 

Para financiar os cursos no exterior, a pianista trabalhou como modelo, fotografando para revistas e editoriais de moda no Brasil e nos Estados Unidos.

 

A resposta para aqueles que não acreditavam que era possível conciliar as duas carreiras veio com o lançamento de seu primeiro CD “Chopin/Liszt”, muito bem recebido pela crítica e que a colocou entre as principais revelações da música erudita nacional.

 

Em 2011, gravou um álbum em parceria com o contrabaixista romeno Catalin Rotaru e, dois anos depois, com o violinista Emmanuele Baldini, spalla da Osesp.

Hercules Gomes

 

Iniciou seus estudos aos 13 anos como autodidata e, pouco tempo depois, já tocava em bandas do cenário musical capixaba.

 

Estudou na Escola de Música do Espírito Santo e, posteriormente, tornou-se bacharel em Música Popular pela UNICAMP.

 

Apresentou-se em alguns dos mais importantes festivais de música no Brasil e no exterior, como o CCPA Jazz Festival em Assunção (Paraguai), Festival Internacional Jazz Plaza em Havana (Cuba), Festival Brasil Instrumental em Tatuí (São Paulo) e Cascavel Jazz Festival em Cascavel (Paraná).

 

Foi premiado no concurso de piano Guiomar Novaes e conquistou o 11º Prêmio Nabor Pires de Camargo. Já participou de trabalhos com músicos como Letieres Leite, Arismar do Espirito Santo, Vinicius Dorin, Sizão Machado, Wilson das Neves e Bruna Caram, dentre outros.

 

Em 2013 lançou seu primeiro trabalho solo, Pianismo, no qual demonstra suas fortes influências de ritmos brasileiros, jazz e da música erudita, aliadas a uma técnica refinada. O álbum divide-se entre composições próprias e arranjos para canções de Edu Lobo, Hermeto Pascoal e Ernesto Nazareth.

 

Ronaldo Rolim

 

 

Em 2015, Ronaldo Rolim recebeu o terceiro prêmio no disputadísismo Concurso Internacional de Piano Géza Anda 2015, em Zurique.

Vencedor de mais de 30 prêmios ao redor do mundo, entre eles as competições internacionais de piano de Bösendorfer, San Marino e James Mottram, o pianista já levou suas elogiadas interpretações a países como Estados Unidos, Portugal, Espanha, Inglaterra, Itália e Áustria, além de salas de concerto como o Carnegie Hall, Seoul Arts Center e Steinway Hall.

 

Como solista convidado, já se apresentou ao lado de renomadas orquestra brasileiras – Osesp, Filarmônica de minas Gerais, Sinfônica da USP – e do exterior, entre elas a Royal Liverpool Philarmonic, Sinfônica de Phoenix, e Pontiac Symphony.

 

Ao lado da violinista Lydia Chernicoff e do violoncelista Andrea Casarrubios fundou o Trio Appassionata, no qual desenvolve um extenso trabalho dedicado à música de câmara.

 

No ano passado, o grupo lançou seu primeiro álbum, Gone Into Night Are All The Eyes. Nascido em Votorantim (SP) e ex-aluno da Fundação Magda Tagliaferro, estudou com Flávio Varani na Universidade de Michigan, nos EUA.

 

Em 2014, foi selecionado para o doutorado de Musical Arts na Yale School of Music, também em solo americano, onde reside desde 2007.